a felicidade do senhor cansaço

Escrevo muito estes dias.

Escrevo na minha língua, escrevo na língua da minha mãe, escrevo na que me acolheu em pequenina mesmo se eu não a percebesse. Escrevo sobre temas variados, escrevo e leio, leio e revejo, parece como se o que pedi em silêncio uma vida inteira fosse agora realidade. Fosse um começo, na verdade. Porque por muito que escreva, por muito que pareça que esgote as palavras ao final do dia, por mais que as minhas mãos peçam silêncio e a cabeça descanso, existe sempre aquela saudade que não me abandona. A do bocadinho por retratar, a do canto da vida que ainda não contei, a da ideia que se perpetua na cabeça, a da história que se queixa, me faz caretas e me puxa pela saia por ainda não ter visto o papel.

Escrevo muito e sinto o cansaço. Mas que cansaço feliz, que cansaço maravilhoso este da fortuna de quem escolheu na vida o que gosta de fazer.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s