talvez

Talvez seja da bruma. 
Da humidade tão fina que se sente nas pontas dos dedos. 
Do odor fresco. 
Não importa o quê. 
Apenas sei que estes dias me devolvem o cheiro da terra, 
o céu gigante com todas as constelações à distância de um braço, 
a natureza fértil, feminina, 
a dádiva avassaladora. 
Nestes dias, transporto-me inevitavelmente a África. 
E sinto saudades. 
Esta é uma semente que conheci tarde mas que, apesar de tudo, 
se plantou bem firme, 
feita raíz poderosa como a de um embondeiro.
O nosso coração não tem tamanho.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s