paz

Começou miúda, miudinha, com pequenas gotas alterando a superfície lisa e quente, deixando notas de humidade ligeiras. Teimosa, ignorou a brisa e insistiu. Pequenas comportas abriram-se e, ao sentir poder, metamorfoseou-se numa torrente silenciosa mas persistente. A tempestade sobreveio arrastando tudo à passagem. A brisa pareceu perder o norte mas de súbito reconheceu a água e alinhou. 
Veio o silêncio; tão imenso que a brisa pensou ter-se transformado em vento. Calou-se, então. A paz da verdade solitária tinha chegado.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s