saco de boxe

Tens que ter cuidado com o que escreves, disse ele, certa vez, nunca sabes quem poderá estar a ler-te. A mulher encolhera os ombros e continuara com o que estava a fazer. Mas, ontem, alguém dissera o mesmo e aí ela não encolheu os ombros. Numa voz tranquila, sem esconder o tom, para quem a quisesse ouvir (pouco lhe importava), disse:
Este é um dos meus espaços de liberdade e a ninguém, mas absolutamente a ninguém, dou o direito da interferência. Escrever antecipando quem possa por uma eventualidade ridícula estar a ler-me?! Esse não é o propósito e acho que nunca conseguirei fazê-lo dessa forma, aliás, não quero. E se alguém ler e não gostar, temos pena. Aquilo que escrevo no dia-à-dia, por causa da minha profissão, já sofre demasiadas transformações; porém, isso são ossos do ofício que escolhi. Agora, aqui?! Nem pensar. Esta é a minha ginástica; no meu saco de boxe ninguém toca.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s