sentir a mais

Detesto pressentir a doença nos miúdos. Claro que é terrível quando se trata de qualquer membro da família, mas quando é com os miúdos, não há nada que me custe mais. Pode ser apenas uma gripe daquelas, um bichinho que picou ou outra coisa qualquer que no fundo não terá mais importância que uns dias de cama; não importa o quê, o facto de ter o condão de antecipar, de olhar para os olhos e perceber um brilho que desmaiou, uma temperatura nas mãos diferente, um encostar de cabeça fora do vulgar, dói como o ráio na pele da maternidade. Ser mãe tem esta parte de tramado. A gente-mãe intui, pressente e sente, a mais. Acreditem, elementos do género masculino, Deus Nosso Senhor, Buda ou a vossa mãezinha e paizinho ao fazerem-vos homens, de certa maneira, livraram-vos desta. Mas nunca ninguém disse que ser Mulher era fácil. Nem Deus.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s