Gostava de ser luz

Há um brilho que é próprio das verdadeiras estrelas que por alguma razão se transformaram em seres humanos. É um brilho que não se apaga com o passar dos anos ou com o andar da vida; antes, acentua-se, por ser verdadeiro, por se tornar mais transparente uma vez que se vai despindo da máscara do exterior. A minha mãe tem esse brilho. Por isso me custa tanto vê-la triste. Hoje é um daqueles dias em que gostava de ser luz pronta a ser injectada.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s