Esvaziar a despensa

Marcou um almoço, teve outro, pôs uma parte dos assuntos em pratos limpos dizendo o que queria ou o que lhe ia na alma e a vida encarregou-se de reformular o resto como a vida sempre faz, fazendo um switch perfeito nas roldanas do céu. Sentia-se uma mulher de sorte por ser capaz de entender algumas das maquinações universais, mas sobrava-lhe o amargo de boca que irá resolver amanhã, sabendo que, mais uma vez, não poderá ter expectativas nem desejar que o mundo seja perfeito. Afinal, as pessoas têm as suas próprias visões das histórias e apenas ficarão nas nossas se assim estiver determinado. ‘O mais importante,’ pensou, tentando vencer a sua impaciência, ‘…é nunca deixar a despensa com coisas a apodrecer.’
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s