Vinte, e mais alguma trazida pelo ar

Quando aqui chegámos era Janeiro e as árvores do meu jardim mostravam a sua nudez, quase com vergonha. O guarda-sol, vindo da outra casa, instalou-se confortavelmente e, acompanhado da mesa e bancos de exterior, pareceu conquistar o relvado, vaidoso.
Passaram três meses. A energia da terra e das raízes brotou. Agora o verde invade profusamente o espaço em inúmeras formas e cores. Subitamente, os objectos perderam a sua arrogância, ficaram pequeninos, reduziram-se à insignificância de serem meras coisas, abafados que estão pela força da natureza.
O meu filho mais velho tem de desenhar e pintar vinte folhas de plantas, usando tonalidades diferentes de verde e castanho. Disse-lhe para ir para o jardim. Difícil vai ser escolher.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s