Metrópoles do nada

Eu só quero ser feliz. Eu só quero fazer-te feliz. Eu só quero é que eles sejam felizes. Irra. Falamos tanto na palavra que acabamos por banalizar todo o seu significado. 

Como dizia a canção, felicidade é uma cidade pequenina.
Enquanto não compreendermos isso, vamos continuar a andar à procura de metrópoles cor-de-rosa, cheias de arranha-céus sem dimensão nem estrutura. In-felicidade, é o que isso é. E parece que anda meio mundo a ter gozo nela. Vou fugir a sete pés.
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s